segunda-feira, 8 de maio de 2017

www.revistapropulsao.com



PARA LILÊ. Com amor

Fiz um poema ao não fazê-lo, ao sol
à luz, ao acordar e ao ter-te ao lado
o bocejo o bom-dia o baby-doll
pão café-com-leite o achocolatado
Fiz um poema ao não fazê-lo, à tarde
(é domingo), o atrasado almoço os chopps
os sorrisos os dois tontos com ar de
recém-casados ou... amantes - ops!
Fiz um poema ao não fazê-lo, à lua
ao me doar-te - ó mártir dado a Vênus -
ao teu regozijares-te, deia nua
ao amar-te e ao gozar-te - marte pleno

Fiz um poema: fi-lo ao não fazê-lo
Fi-lo ao antes vivê-lo e, hoje, escrevê-lo


(Segundo soneto de Duas Visões Textuais, colaboração para a Revista PROPULSÃO)

Nenhum comentário:

Postar um comentário